Ir para conteúdo

Desemprego no Brasil é o 4º maior entre os 44 países mais ricos do mundo

Desemprego no Brasil é o 4º maior entre os 44 países mais ricos do mundo

O levantamento revela que o desemprego no Brasil supera em mais de duas vezes a média da mundial.

A taxa de desemprego no Brasil é a quarta maior dentre uma lista das 44 principais economias do mundo, de acordo com estudo realizado pela agência de classificação de risco Austin Rating.

O levantamento revela que o desemprego no Brasil supera em mais de duas vezes a média da mundial. A taxa de brasileiros sem trabalho é ainda a mais alta no grupo das 20 maiores economias do planeta.

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,2% no trimestre encerrado em agosto. Isso representa 13,7 milhões de trabalhadores, segundo dados mais recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
Veja abaixo a lista da Austin Rating para a taxa de desemprego entre os países.

Ranking de desemprego em agosto

Costa Rica: 15,2%

Espanha: 14,6%

Grécia: 13,8%

Brasil: 13,2%

Colômbia: 12,7%

Turquia: 12,1%

Itália: 9,3%

Suécia: 8,8%

Índia: 8,3%

Chile: 8,2%

França: 8%

Zona do euro: 7,5%

Finlândia: 7,2%

Lituânia: 7,2%

Canadá: 7,1%

Letônia: 7,1%

Eslováquia: 6,5%

Irlanda: 6,5%

Bélgica: 6,4%

Portugal: 6,3%

Indonésia: 6,3%

Estônia: 6,0%

Áustria: 5,9%

Luxemburgo: 5,5%

Islândia: 5,4%

Estados Unidos: 5,2%

China: 5,1%

Israel: 5,0%

Austrália: 4,5%

Dinamarca: 4,5%

Reino Unido: 4,5%

Rússia: 4,4%

Hungria: 4,1%

México: 4,1%

Noruega: 4,0%

Eslovênia: 3,9%

Alemanha: 3,4%

Polônia: 3,4%

Holanda: 3,2%

Coreia do Sul: 2,8%

Japão: 2,8%

República Tcheca: 2,8%

Suíça: 2,7%

Singapura: 2,6%

A Austin Ratings também elaborou o ranking para setembro, mas alguns países ainda não divulgaram a taxa para o mês, incluindo o Brasil.

Veja:

Costa Rica: não divulgado

Espanha: 14,8%

Grécia: 13,3%

Brasil: não divulgado

Colômbia: 12,7%

Turquia: 11,5%

Itália: 9,2%

Suécia: 8,8%

Índia: 6,9%

Chile: 8,4%

França: 7,7%

Zona do euro: 7,4%

Finlândia: 7,7%

Lituânia: 6,7%

Canadá: 6,9%

Letônia: 6,8%

Eslováquia: 6,3%

Irlanda: 6,4%

Bélgica: 6,3%

Portugal: 6,4%

Indonésia: 6,5%

Estônia: 5,9%

Áustria: 5,2%

Luxemburgo: 5,4%

Islândia: 5,3%

Estados Unidos: 4,8%

China: 4,9%

Israel: 5,2%

Austrália: 4,6%

Dinamarca: 4,6%

Reino Unido: 4,3%

Rússia: 4,3%

Hungria: 3,6%

México: 3,9%

Noruega: não divulgado

Eslovênia: 3,9%

Alemanha: 3,4%

Polônia: 3,4%

Holanda: 3,1%

Coreia do Sul: 3%

Japão: 2,8%

República Tcheca: 2,6%

Suíça: 2,6%

Singapura: não divulgado

Segundo o economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, o desemprego no Brasil é maior porque o país vem de muitos anos de baixo crescimento, e a economia brasileira tem históricos problemas estruturais, como carga tributária e baixa produtividade, fatores que foram agravados recentemente pela elevação da inflação e pelos juros que voltaram a subir.

Segundo o FMI (Fundo Monetário Internacional), o Brasil vai fechar este ano com uma taxa de desemprego de 13,8%, destaca Agostini. Isso posiciona a economia brasileira na 14ª pior posição de mercado de trabalho no mundo.

Mas o economista da Austin Rating destaca que a situação do Brasil deve piorar se o país desacelerar o PIB ano que vem, ou mesmo entrar em recessão, como já preveem alguns bancos.

Notícias ao Minuto. 23.11.2021.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: