Ir para conteúdo

Os 173 anos do manifesto comunista em 5 fatos

Marx, Engels, Lenin e Stalin em pintura clássica

Em 1848, a dupla Karl Marx e Friedrich Engels publicava o livro que viria a se tornar um dos mais influentes da história

Há 173 anos, os teóricos Karl Marx e Friedrich Engels publicaram o Manifesto do Partido Comunista, livro que consolidou ideias que perduram até os dias de hoje. Com uma importância histórica incontestável, a obra apresentava críticas à sociedade capitalista e suas formas de funcionamento.

“A história de toda sociedade até nossos dias é a história das lutas de classe”, afirmam os autores. Em um período de mudanças sociais turbulentas, a dupla foi responsável por unificar muitos pensamentos que estavam circulando naquela época.

A Aventuras na História separou 5 fatos sobre o Manifesto Comunista. Confira!

1. Partido Comunista

Karl Marx / Crédito: Getty Images

O Manifesto Comunista originalmente foi nomeado de O Manifesto do Partido Comunista. Isso porque ele foi escrito por Karl Marx e Friedrich Engels, mas solicitado pela Liga Comunista, uma organização internacional da qual os dois faziam parte.

O grupo consistia em pessoas que faziam parte da classe trabalhadora, principalmente artesãos e operários europeus. Durante suas reuniões, os teóricos passaram a discutir questões de classe, o que acabou gerando a solicitação por uma obra que reunisse todos os conceitos tratados por eles.


2. Revolucionário

Na época em que o Manifesto foi escrito, a Europa era revolvida por ideias revolucionárias: ela era o palco de inúmeras teorias e ideologias. Ainda assim, o livro provou ser inovador porque ele conseguiu consolidar inúmeros conceitos que estavam em discussão.

Foi a primeira vez que os ideais revolucionários foram agrupados em uma obra só. Eles tratavam de temas como a luta de classes entre a burguesia e o proletariado, além da concepção da abolição da propriedade privada. Essa “síntese” se mostrou tão importante que se tornou base de um movimento que persiste até a atualidade.


3. ‘Panfleto político’

Como o manuscrito foi uma solicitação de uma liga que contava com pessoas da classe trabalhadora, o livro continha uma linguagem acessível, quase a de um panfleto político. A ideia é que ele pudesse ser entendido pela grande parte da população, quem eles queriam alcançar para realizar a chamada revolução.

Muitos pesquisadores apontam o uso da retórica ao longo de todo o texto. Marx e Engels usaram metáforas, alegorias e mitos da época para conseguirem expor o pensamento teórico de maneira que as pessoas de fato quisessem ler o Manifesto. A própria abertura do livro é exemplo disso: “Um espectro ronda a Europa — o espectro do comunismo”.


4. Olho do furacão

Karl Marx e Friedrich Engels / Crédito: Getty Images

O Manifesto não surgiu do nada: ele foi fruto do momento histórico em que os autores viveram e, especialmente, do local em que eles estavam. A obra, inclusive, foi publicada pela primeira vez em Londres, na Inglaterra, que era considerada o centro das revoluções, quase o olho do furacão do mundo naquela época.

Foi por estarem em contato com as consequências dessas transformações radicais, que afetaram os trabalhadores de maneira mais árdua, que a construção do pensamento comunista — anunciado pelo Manifesto — foi possível.

5. Mudanças radicais

Além de apresentarem os conceitos debatidos na época em que o livro estava sendo escrito, a dupla de comunistas também apresentou algumas previsões para o futuro, baseadas nas concepções que tinham das mudanças radicais e da sociedade capitalista no geral.

Eles, de fato, anteciparam alguns eventos: a Revolução francesa de 1848, por exemplo, aconteceu pouco depois de a obra ter sido publicada, comprovando que as sociedades passariam por revoluções.

Eles não puderam imaginar a dimensão do avanço tecnológico e a complexificação das sociedades no mundo contemporâneo.

+Saiba mais sobre Karl Marx por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Karl Marx: Uma vida do século XIX, de Jonathan Sperber (2014)

O Velho Marx. Uma Biografia de Seus Últimos Anos. 1881-1883, de Marcello Musto (2018)

Karl Marx – Grandeza e ilusão, de Gareth Stedman Jones (2017)

Karl Marx e o Nascimento da Sociedade Moderna. Biografia e Desenvolvimento de Sua Obra, de Michael Heinrich (2018)

Aventuras na História. 21.2.2021.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: