Ir para conteúdo

Série “Depois das Grades”

Andresa Ruiz, primeira retratada da série “Depois das Grades” | Foto: Daniel Arroyo/Ponte Jornalismo

Você, que acompanha a Ponte Jornalismo, sabe bem que o Brasil abriga a terceira maior população carcerária do mundo. Os números oficiais variam segundo os critérios e as fontes, mas são todos gigantescos: de 759 mil, segundo o Departamento Penitenciário do Ministério da Justiça, a 812 mil, segundo o Conselho Nacional de Justiça. Há um debate fundamental a respeito do encarceramento em massa, sua inutilidade enquanto ferramenta de combate à criminalidade e sua natureza de ação racista para controle social dos negros e pobres, mas há um outro ainda mais urgente, a ser feito inclusive por quem defende mais muros e prisões.

Mesmo quem apoia as prisões generalizadas e chama os direitos humanos de “direitos dos manos” precisa ser chamado a pensar numa solução para um problema que é dos mais urgentes: o que fazer com a multidão de ex-encarcerados que esse sistema gera? Estamos falando de aproximadamente 0,5% da população adulta do Brasil. É uma gente que não vai simplesmente desaparecer ao deixar os cárceres. Que respostas estão sendo dadas para seja reintegrada? Pensar nisso deve ser responsabilidade de todos. Inclusive os que defendem as prisões como porta de entrada para boa parte da nossa juventude precisam ser cobrados a darem uma resposta para planejar portas de saída.

Com a intenção de estimular esse debate e a busca de soluções para a situação dos ex-detentos, a Ponte Jornalismo preparou ao longo de dois anos a série documental Depois das Grades, que vai contar a vida de sete dessas pessoas. Com a supervisão de Antonio Junião, reportagem de Claudia Belfort e Daniel Arroyo, produção audiovisual de Anderson Jesus, da produtora Iracema Rosa e do portal Todos os Negros do Mundo, e uma forcinha minha na edição, a série resultou num material muito rico, bonito de ver e importante de debater. Os episódios irão ao ar às terças-feiras, a partir de amanhã, na Ponte e no site do nosso parceiro Yahoo Notícias.

A série completa ficará disponível no site Depois das Grades, Tudo aberto e gratuito, porque esse debate, como tantos que a Ponte levanta, é um problema importante demais para ficar acessível apenas a quem possa pagar para ler. E, para remunera nosso trabalho, contamos com o Tamo Junto.

Fausto Salvadori, diretor de redação da Ponte Jornalismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: