Ir para conteúdo

Como se fosse verdade, versejam os poetas

20121008-215942.jpg

As verdades que os poetas disfarçam em mentiras mal contadas…
é tudo tanto, é tanto sentir…

Como se fosse verdade, tudo é poesia. Como se fosse verdade, a memória vem em versos, a angústia, o medo, a ternura e o desamor são digeridos e lançados pra fora num vômito atormentado, na mesma vidência invasiva de quando adentram. Ao abrir os poros, despeço-me do silêncio, do incolor e do inodoro. Escrever é ampliar os sentidos.

Quando saio pra passear com as palavras, eu não falo de mim nem de ti, eu não conto histórias de verdade nem denuncio sentimentos; não é desabafo, não é sofrimento nem felicidade. É tudo invenção de espírito. O cair das folhas secas não faz poesia se os teus olhos não desenharem uma mirabolante fantasia no cair das folhas, como se fosse verdade….

Com se fosse verdade, a poeta escreve, como se houvesse dores, como se eu amasse, como se tivesse um dia chorado de amor, como se meu rosto doesse uma dor de dilacerar os nervos da face, como se eu fosse sensível, como se meu pai tivesse sido levado por um câncer náufrago a lhe sufocar o espírito, como se ela tivesse me abandonado duas vezes, como se ela nunca tivesse existido, como se eu sofresse as dores do irmão mais novo, como se ele tivesse sentado ao chão de cimento de uma sala fechada planejando fuga, como se eu fosse filha do acaso, como se anjos tentassem ser meus guias, como se eu tentasse fugir e meus pés não sentissem chão, como se os cachorros do sítio me fizessem falta, como se o medo do escuro ainda me atormentasse, como se eu abandonasse amores perdidos, como se eu amasse demais, desrespeitasse os donos e tomasse posse de todo o mundo.

Como se escrever fosse solucionar alguma coisa, como se poesia fosse terapia, como se fosse verdade, é tudo invenção de espírito… ou não. Como se fosse…como se isso fosse um livro e eu tivesse alguma coisa pra te dizer. Resolvi mentir no papel, porque mentira falada é pecado ou loucura, mentiras escritas são mais bonitas, viram prosa ou poesia.

Bem vindos às minhas mentiras…como se fossem mentiras….eu já nem sei mais. Sei que já disse que não falo de mim em meus versos… mas, se me encontrares em alguma estrofe perdida, dê-me um abraço; se te encontrares em algum dos meus versos, beije-o, pois ele já não será só meu. É tudo nosso ou como se fosse…

As palavras acima estão inseridas na nota da autora, essa mesma que vos fala, do livro COMO SE FOSSE VERDADE. A obra é uma coletânea de poemas, dividida em três capítulos: “se eu fosse paz”, “se eu fosse chuva” e “se eu fosse caos”. O livro é um mergulho em um universo de versos livres, sobre vida, sobre medo, sobre tudo e sobre nada. Composta por 80 textos poéticos, a obra foi lançamento da Premius Editora, com sede na capital cearense, em primeira ocasião na Ler Livraria e, posteriormente, na XI Bienal Internacional do Livro do Ceará que ocorreu em dezembro de 2014.

Como encontrar o livro amarelinho:

Ler Livraria: Av. Dom Luis, 500 – 4º Piso, Ljs 422/424 Fortaleza – CE; Contato: (85) 3062-8857

Premius Editora: Rua Manuelito Moreira, 55 – Benfica, Fortaleza – CE, 60025-210; Contato: (85) 4102-2973

Com a autora: email: talita-nogueira@outlook.com; facebook Talita Nogueira; instagram: @talitacnogueira

IMG-20141119-WA0000.jpg

Por Talita Nogueira. Obvious.

Factótum Cultural Ver tudo

Um Amante do Conhecimento e com o desejo de levá-lo aos Confins da Galáxia !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: