Ir para conteúdo

De onde realmente somos?

De onde realmente somos? A teoria bizarra do planeta prisão

Desde os primórdios da humanidade, procuramos explicar nossas origens e responder à pergunta fundamental e básica: De onde viemos?

Em todas as culturas distantes de todos os cantos do globo, é possível encontrar mitos e lendas da origem, cada um tão diferente quanto a cultura de que se origina. Em tempos mais recentes, temos a ciência e a teoria da evolução, um esforço mais científico para explicar a mesma velha pergunta que nos assombra desde que os primeiros tremores de autoconsciência surgiram em nossos cérebros, mas para alguns isso ainda não foi suficiente, e ainda existem algumas ideias marginais decididamente disponíveis.

Para pelo menos um cientista, a resposta a essa pergunta é que não viemos da Terra, mas fomos deixados ou exilados aqui há muito tempo.

Bem-vindo ao mundo bizarro do Planeta Prisão.

O principal impulso por trás de uma das teorias mais loucas da história dos seres humanos neste planeta é a de um ecologista americano chamado Ellis Silver. Sua ideia principal é que nossas origens neste planeta não são o que parecem, e que talvez não sejamos o produto da evolução neste mundo, mas sim visitantes que, por qualquer motivo, terminaram aqui há relativamente pouco tempo na escala geográfica, talvez centenas de milhares ou mesmo recentemente, dezenas de milhares de anos atrás, após o que cruzamos com espécies mais antigas, como os neandertais, para nos tornarmos as criaturas híbridas que somos hoje.

Parece completamente estranho, os delírios de um teórico da conspiração usando chapéu de alumínio, mas Silver não é um maluco comum, mas um cientista respeitado, e ele tem suas evidências para tentar essa noção louca na superfície.

Esquecendo o momento de como poderíamos ter chegado aqui em primeiro lugar, Silver está mais do que pronto para apresentar seus argumentos sobre porque, como espécie, simplesmente não parecemos pertencer a este lugar. A primeira e principal razão para isso é que nós humanos somos diferentes de qualquer outra coisa neste planeta em termos de inteligência e capacidade mental. Não existe outro animal que se aproxime da nossa capacidade de pensar, filosofar, criar política, obras de arte e poesia, ou avançar na tecnologia tão incrivelmente rápido.

Este é o argumento mais óbvio no caso dele, mas certamente não é o único, e, em sua opinião, os seres humanos exibem muitas características fisiológicas que provam que não somos tão acostumados ou adequados para este planeta quanto nossos criadores originais poderiam ter pensado. E, de fato, ele cita uma longa lista de diferenças entre nós e praticamente todas as outras formas de vida neste planeta, que ele diz nos marcar como mal equipados de forma hilária para lidar com esse ambiente e este mundo.

Segundo Silver, essas diferenças anômalas podem ser vistas desde o início de nossas vidas. As mulheres humanas têm enormes complicações e dores durante o parto, que ele afirma não serem vistas em nenhum outro lugar no reino animal, com nascimentos entre animais sendo naturais e suaves, enquanto os seres humanos precisam de muito apoio e podem até morrer no parto, algo que ainda acontece ocasionalmente até hoje. Certamente, isso se deve à grandeza da cabeça dos bebês humanos, mas por que, argumenta Silver, isto deveria ocorrer se é um processo normal de evolução?

Depois de nascermos após um período de gestação incomumente curto, passamos por um processo extremamente lento de desenvolvimento, com bebês humanos completamente desamparados por anos após o nascimento, o que Silver argumenta estar longe da norma no reino animal.

Isso pode já estar levantando algumas sobrancelhas, mas isso é apenas o começo.

Depois de amadurecer, os humanos exibem muitos traços anômalos que não são realmente compartilhados por outras criaturas neste planeta. Silver diz que somos antinaturalmente propensos a doenças e condições crônicas, como febre do feno, alergias e outras, o que não parece fazer sentido. Ele também expõe nossa fraqueza incomum ao Sol, dizendo que somos uma das únicas criaturas que sofrem queimaduras solares na medida em que nos expomos, e pelo fato de termos “evoluído” para não ter pelos no corpo e sermos adicionalmente uma das únicas criaturas que precisam apertar os olhos quando a luz do Sol está forte.

A gama de frequências que podemos ouvir também é lamentavelmente baixa em comparação com a maioria dos animais, assim como a nossa gama de odores, que é argumentada como sendo o resultado de estar em sintonia em um nível biológico com outro ambiente totalmente diferente.

Os seres humanos também tendem a ter problemas crônicos nas costas, o que, segundo ele, é o resultado da diferença de gravidade entre nosso mundo natal e a Terra, e ele continua com a noção de que nossos corpos realmente parecem mais afinados com um dia de 25 horas, e não de 24, e muitos de nós têm distúrbios do sono e um senso geral de ansiedade por causa disso.

Além disso, em geral, não gostamos de alimentos crus e não cozidos e, ao contrário de outros animais, evoluímos com poucos pelos corporais, andamos eretos e não com um centro de gravidade mais baixo, ao contrário de outros animais. Ele até aponta para nossa grande quantidade de “DNA lixo” como evidência de que somos, de fato, alienígenas.

Na sua opinião, somos muito diferentes em muitos aspectos de todos os outros animais do planeta. De foram geral, a opinião de Silver é a de que nossos corpos não são adequados para esse ambiente se realmente evoluímos aqui há milhões de anos, e ele disse isso:

Minha tese propõe que a humanidade não evoluiu a partir dessa linha de vida específica (organismos terrestres nativos), mas evoluiu em outro lugar e foi transportada para a Terra entre 60.000 e 200.000 anos atrás.

A humanidade é supostamente a espécie mais desenvolvida do planeta, mas é surpreendentemente inadequada e mal equipada para o ambiente da Terra: prejudicada pela luz solar, uma forte aversão a alimentos que ocorrem naturalmente, taxas ridiculamente altas de doenças crônicas e muito mais. Isso sugere (pelo menos para mim) que a humanidade pode ter evoluído em um planeta diferente, e podemos ter sido trazidos para cá como uma espécie altamente desenvolvida.

A Terra atende de forma aproximada às nossas necessidades como espécie, mas talvez não tão fortemente quanto quem nos trouxe aqui inicialmente pensava.

No entanto, se tudo isso é realmente verdade, então por que teríamos acabado aqui em primeiro lugar? Bem, de acordo com Silver, uma possibilidade é que a Terra possa ser um planeta para guardar prisioneiros que não conseguiram se integrar à sua sociedade normal. Nossos ancestrais podem ter sido exilados aqui, após sendo esquecidos e cruzados com espécies nativas, para formar o que somos agora, embora com algumas peculiaridades indicativas de nossas origens extraterrestres. Afinal, os seres humanos já tiveram colônias penais distantes antes, então quem pode dizer que os alienígenas também não fazem o mesmo?

De fato, Silver chama tudo de “A teoria do Planeta Prisão” e ele diz porque estamos aqui:

Uma razão para isso, discutida no livro, é que a Terra pode ser um planeta prisão – já que parecemos ser naturalmente espécies violentas – e estamos aqui até aprendermos a nos comportar.

Ele até sugeriu que ao mesmo tempo pode muito bem ter havido algum tipo de superintendentes, e que esses se tornaram os deuses nas mentes de nossos ancestrais.

De fato, os OVNIs que muitas pessoas vêem hoje podem ser nossos verdadeiros ancestrais, mantendo um olho em nosso progresso. Outras ideias são que um asteroide destruiu nosso planeta natal há muito tempo e fugimos para cá, ao longo dos séculos esquecendo nossas verdadeiras origens, ou que somos até refugiados do planeta moribundo Marte. Também poderíamos ter sido implantados aqui para algum tipo de experimento de longa duração, essencialmente nos tornando cobaias intergalácticas.

Pode-se especular sobre várias coisas. Seja qual for o motivo, o resultado final é que não viemos daqui.

Embora tenha havido certamente ideias e teorias de que a vida na Terra poderia realmente ter começado com bactérias ou outro material biológico chegando a ela em um meteoro, Silver é um dos primeiros a sugerir seriamente que de fato viemos aqui de forma mais ou menos completa, com talvez alguma hibridação ao longo do caminho.

Silver escreveu um livro inteiro sobre o assunto, intitulado “Humans Are Not From Earth: a Scientific Evaluation of the Evidence” (Os Humanos Não São da Terra: Uma Avaliação Científica das Evidências), e é controverso, para dizer o mínimo.

O que devemos pensar dessas ideias que os seres humanos não se originaram daquilo que há muito pensamos ser nosso mundo natal? É claro que houve muitas críticas direcionadas à teoria e tudo permanece altamente especulativo, mas, no entanto, trata-se de outro exemplo intrigante de nossa espécie que tenta se aprofundar em nossa história e extrair algum significado de onde viemos, quem somos, e para onde estamos indo.

Brent Swancer. 22.4.2020.

Factótum Cultural Ver tudo

Um Amante do Conhecimento e com o desejo de levá-lo aos Confins da Galáxia !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: