Ir para conteúdo

A psicologia dos cassinos: espaços projetados para que você aposte como nunca e perca como sempre

Muitas pessoas sonham em um dia tirar a sorte grande, e qual o melhor lugar para fazê-lo se não em um casino estrelado? Embora estes luxuosos complexos pareçam ser um mundo à parte, os convidados mal se dão conta de tudo aquilo que se esconde por trás das cortinas e por baixo dos tapetes de uma sala de apostas. Os modernos cassinos de hoje em dia estão se transformando em estruturas cada vez mais inteligentes e capazes de induzir as mais diversas sensações e impulsos em seus clientes. A tecnologia se extende muito além da simples programação das máquinas caça-níqueis e da previsão das probabilidades de cada mesa. Uma luz se acende, a roleta gira, bimgo! Tudo aqui é meticulosamente planejado para fazer com que você se sinta especial, que você se sinta confiante e que coloque a mão no bolso sem pensar duas vezes. Dizem que a casa sempre ganha, que é impossível virar o jogo e que nada acontece por acaso. Qual o papel da arquitetura nesta lógica do azar, e como a configuração do espaço e seus mecanismos podem ser capazes de induzir determinados comportamentos?

Cassinos e casas de apostas têm um longo e controverso histórico de serem extremamente eficazes em atrair seus clientes e fazê-los gastar quantidades absurdas de dinheiro. A principal escola de pensamento por trás da criação destes espaços foi desenvolvida por Bill Friedman, um filósofo da administração de cassinos da Universidade de Nevada em Las Vegas e autor do livro Designing Casinos to Dominate the Competition. Friedman afirma que o único fator determinante para o sucesso de um cassino é a sua capacidade de precisar a porcentagem de visitantes que voltam ao casino após uma primeira visita. As modalidades de aposta são as mesmas em todos os lugares, então é fundamental que o seu cassino seja “o cassino”, aquele onde todos queiram ir, um objeto de desejo mais do que apenas uma simples casas de apostas. Ele diz que, assim como os hotéis de Las Vegas seguem um padrão próprio – reproduzindo toscamente as formas de edifícios e monumentos icônicos –, os cassinos deveriam seguir um conjunto de regras para serem bem sucedidos. Em seu livro, Friedman faz uma avaliação precisa dos elementos espaciais que jogam à favor das casas de apostas, fazendo com que um maior número de pessoas queiram gastar mais dinheiro aqui e não ali. Se você já esteve em um cassino antes, é provável que a recepção do hotel dividia seu espaço com uma bateria de máquinas caça-níqueis, que nem sequer por um minuto você não deixou de pensar em apostar, em tentar a sorte grande, em ganhar, ganhar muito, muito dinheiro.

<img src="https://images.adsttc.com/media/images/5e6a/3cf2/b357/65dc/a700/010e/newsletter/Bellagio_Casino_and_Hotel_at_Night.jpg?1584020705" alt="© <a href= ‘https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0b/Bellagio_Casino_and_Hotel_at_Night.jpg'>Photographersnature</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/'>CC BY-SA 3.0
© Photographersnature licensed under CC BY-SA 3.0

Entretanto, ao longo das últimas decadas, uma outra teoria – em oposição a linha de pensamento de Friedman – começou a ganhar força. Roger Thomas, nascido em Vegas, foi o responsável pelo projeto de uma dos cassinos mais famosos do mundo, o Bellagio. Em parceria com Steve Wynn, Thomas propôs uma estratégia arriscada, completamente oposta ao padrão universalmente aceito proposto por Friedman. Eles decidiram apostar alto em uma nova abordagem, um projeto sensível capaz de super-estimular os nossos sentidos. Freqüentemente chamado de “parque de diversões”, o estilo proposto por Thomas e Wynn foi concebido para garantir que os hóspedes se divirtam o tempo todo. Esta tipologia de cassino é caracterizada por um ambiente extremamente iluminado, fácil de se localizar, pé direito alto, lobbies glamourosos e tapetes vermelhos. Ao invés de construir um labirinto de máquinas caça-níqueis, estes cassinos são bem organizados e bem distribuídos espacialmente. Luxuosamente decorados, estes espaços atingem uma qualidade quase inebriante, entorpecendo os visitantes. 

via MGM Bellagio Las Vegas
via MGM Bellagio Las Vegas

A ousada proposta de Thomas deu certo e o Bellagio se transformou em um dos mais lucrativos cassinos de Las Vegas. O que se percebe é que em espaços como este, os hóspedes atingem um estado de embriaguez e libertinagem que os leva a fazer apostas maiores e querer arriscar mais. Esses espaços passam a ser um refúgio para os apostadores de plantão, e mais cedo ou mais tarde, eles acabarão voltando a apostar – e provavelmente a perder.

Portanto, na próxima vez que você entrar em um cassino, lembre-se bem de que alguém criou esse espaço para que você queira gastar seu dinheiro, para que você pense em arriscar mais e mais. Enquanto você se diverte, o cassino ganha dinheiro. Essa é a lógica do jogo.

ArchDaily.

Factótum Cultural Ver tudo

Um Amante do Conhecimento e com o desejo de levá-lo aos Confins da Galáxia !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: