Ir para conteúdo

Pais perdoam assassino da filha e o visitam todo mês na prisão!

“Eu não suportaria pensar em outra vida jovem sendo desperdiçada e devorada pelo ódio”, disse a mãe da menina.

Eles escolheram ressignificar a perda da filha e encontraram um espaço para o perdão.

O maior medo de todo pai e mãe é perder os filhos, e em muitos casos, esse medo se concretiza muito precocemente, e de maneira trágica.

Em 28 de março de 2010, Kate Grosmaire e Andy viram sua vida mudar para sempre. Ambos cuidavam do jardim de casa quando a campainha tocou, era a polícia informando-os que sua filha Ann havia sido baleada.

Segundo informações do Mirror, os pais ficaram confusos, pois era um domingo e Ann costumava ficar com o namorado Conor McBride nos fins de semana. Ao falar isso aos policiais, ela e o marido ouviram que o jovem era o próprio atirador.

A notícia os deixou em choque, e foram imediatamente ao hospital, lá descobriram que Ann havia sido atingida por bala disparada de uma espingarda à queima-roupa através de seu olho direito e que seu estado era muito delicado.

Kate sentia que a filha ia partir, por isso reuniu toda a família nos dias seguintes para passar os últimos momentos ao lado da jovem, até desligar a máquina de suporte à vida, a única opção.

A certeza de que a adolescente ia partir abriu uma ferida no coração dos pais de Ann, afinal de contas, ela era uma jovem carinhosa, atenciosa e muito dedicada.

Conor, seu namorado havia três anos, era parte da família. Ambos se conheceram em produções de teatro na escola, e os pais da menina achavam que ele era uma boa influência para a filha.

O sentimento afetuoso pelo jovem, algo que atribui a Deus, fez Kate visitar o namorado da filha na prisão antes de desligar os aparelhos da jovem. Segundo contado pela mulher, Conor havia colocado seu nome entre as quatro pessoas que queria ver.

Kate, embora entenda que isso pareça estranho para muitos, admitiu que sempre soube que precisava dar o perdão para o assassino da filha, ela amava Conor e não queria que as memórias da filha girassem em torno de ódio, violência e amargura.

Na prisão, o jovem imediatamente se desculpou com a família, mostrando que sentia muito por tudo que havia acontecido. Kate e Andy, demonstrando uma empatia sem tamanho, disseram que o perdoavam e amavam. Na tarde do mesmo dia, eles se despediram da filha.

Em junho do mesmo ano, o casal e o procurador do estado que se encarregaria da condenação de Conor se reuniram. Como o jovem assumiu a culpa, sua sentença obrigatória, por estar no estado da Flórida, era prisão perpétua.

Para Kate a sentença significava desperdiçar a vida do rapaz, então ela e o esposo descobriram a “justiça restaurativa”, em que todas as partes conversam em “círculo” sobre os efeitos de um crime e juntos elaboram uma sentença apropriada.

Numa reunião de cinco horas, o casal Grosmaire falou sobre a vida de Ann e como sua perda o afetou. Conor, em seguida, explicou em detalhes como ele e a namorada discutiram, como pegou a arma de seu pai com a intenção de usá-la contra si mesmo, e depois ameaçou a namorada, até puxar o gatilho.

Os pais de Conor também falaram de sua culpa, especialmente o pai, que admitiu ser um homem raivoso e que havia ensinado o filho a seguir o mesmo caminho.

Depois de muito discutir sua opinião sobre a sentença apropriada, os Grosmaires ouviram as autoridades em agosto. Recomendaram sentença de vinte anos de reclusão mais dez anos de liberdade condicional.

Após os primeiros três anos, Conor seria transferido para uma prisão religiosa, onde teria a chance de trabalhar e continuar estudando.

Embora convivendo com a dor da perda da filha para sempre, Kate e Andy ficaram felizes porque a vida de Conor não seria desperdiçada e ele teria a chance de reparar seu erro.

Em dezembro de 2011, Kate começou a visitar Conor regularmente na prisão, escrevendo e telefonando para ele toda semana, e quando o jovem lhe perguntava como poderia ser perdoado, a mulher respondia: “Não é apenas sobre você, é sobre nós. Temos que perdoar para nos libertar da amargura e da raiva para que possamos ter um futuro”.

Ao longo dos anos, o casal espalhou a mensagem sobre justiça restaurativa e perdão, inclusive Kate escreveu um livro sobre sua experiência. Ela e o marido agora se consideram “pais espirituais” de Conor e esperam que ele tenha um bom futuro, acrescentando que sempre fará parte de sua vida.

O Segredo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: