Ir para conteúdo

É de família: mais da metade dos maiores ricaços do Brasil herdou fortuna

Irmãos João (e) e Walter Moreira Salles são herdeiros de uma família de banqueirosImagem: Leonardo Aversa/Agência O Globo

O empreendedorismo ainda não é a principal marca da fortuna dos maiores bilionários brasileiros, de acordo com o ranking anual da Forbes. Por aqui, os ricaços costumar herdar grande parte do dinheiro.

Dos 62 brasileiros com mais de US$ 1 bilhão, 34 deles estão dando continuidade a negócios familiares para manutenção de seu patrimônio.

Liderando a lista de herdeiros bilionários, aparecem os quatro filhos do banqueiro Joseph Safra, cujo patrimônio líquido está cotado em US$ 7,7 bilhões (R$ 35,8 bilhões), segundo a Forbes. Ele morreu em dezembro de 2020.

Outros nomes que figuram no ranking são os quatro irmãos Moreira Salles: Pedro, Fernando, João e Walter. Eles fazem parte de uma das mais antigas famílias de banqueiros do país e juntos somam um patrimônio líquido de US$ 7,3 bilhões (R$ 33,8 bilhões).

Na lista, ainda aparecem outros nomes tradicionais, como os de Ermírio de Moraes (Votorantim) e Abílio Diniz (Pão de Açúcar).

O predomínio do legado familiar entre os mais ricos é um cenário que se repete no restante da América Latina.

Cinco bilionários considerados ‘self-made men’

No topo da lista, o cenário é diferente. Os cinco maiores bilionários brasileiros são “self-made” (do inglês, pelo próprio esforço).

São eles (na ordem, de acordo com o ranking da Forbes):

  1. Jorge Paulo Lemann
  2. Eduardo Saverin
  3. Marcel Herrmann Telles
  4. Jorge Moll Filho
  5. 5arlos Alberto Sicupira

Lemann, Hermann Telles e Sicupira são acionistas controladores da maior cervejaria do mundo, a AB Inbev (dona da Ambev), mas também possuem ações da Restaurant Brands International, controladora do Burger King e da rede de café canadense Tim Hortons, além de terem participação na 3G Capital, empresa de private equity, dona da Heinz.

O segundo lugar da lista pertence ao cofundador do Facebook, o brasileiro Eduardo Saverin. Ele soma um patrimônio líquido de US$ 10,6 bilhões (R$ 49,2 bilhões).

Jorge Moll Filho é médico cardiologista e fez sua fortuna investindo em hospitais e laboratórios do Brasil. Ele é fundador da Rede D’Or e hoje acumula mais de US$ 9,8 bilhões (R$ 45,5 bilhões).

Grupo muda pouco

Com exceção de alguns nomes que já caíram da lista, a exemplo de Eike Batista, a maioria dos afortunados do ranking aparece no grupo há mais de 10 anos. Eles apenas sobem e descem posições, especialmente os herdeiros.

Dois nomes que furaram a bolha e engrossaram a lista dos mais ricos do Brasil em 2022 foram os jovens Henrique Dubugras, 26 anos, e Pedro Franceschi, 25 anos. Eles também integram o ranking dos 12 maiores bilionários do mundo com menos de 30 anos.

Ambos são fundadores de uma fintech que visa reformular o cartão de crédito corporativo. A fortuna de cada um vale US$ 1,5 bilhão.

Aliás, os jovens do setor de tecnologia têm movimentado grandes volumes financeiros no mundo, de acordo com a Forbes.

Dos 12 maiores bilionários com menos de três décadas de vida, que valem US$ 25,8 bilhões (R$ 121,2 bilhões):

  • 60% acumularam fortuna por conta própria com negócios digitais (criptomoedas, fintechs, aplicativo de delivery de comida e software de pagamento)
  • 40% herdaram o dinheiro da família Eles representam menos de 0,5% dos 2.668 bilionários que a Forbes encontrou em 2022.

Eles representam menos de 0,5% dos 2.668 bilionários que a Forbes encontrou em 2022.

UOL. 27.4.2022.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: