Ir para conteúdo

O isolamento permite contemplar e evoluir

7 dicas para evoluir

Por Wagner Dias Ferreira

As crises são sempre muito dolorosas para a humanidade. Mas todas elas, inevitavelmente, deixam um legado de progresso tecnológico em proveito dos homens e mulheres que sobrevivem.

Na história bíblica, há o dilúvio do qual emergiu uma nova humanidade, com mais e melhores valores. Há uma grande peregrinação pelo deserto que impeliu o povo para a terra prometida e depois para a formação de um reino admirado em todo o mundo. Caravanas vinham para contemplar a sabedoria de Salomão.

Em se tratando da humanidade que se diz secular, acontece da mesma forma. As catástrofes, naturais e humanas, sempre trouxeram progresso tecnológico.

Na engenharia, hoje, já produzem prédios com mecanismos pneumáticos para resistir melhor aos terremotos. Na aviação, já se caminhou do 14 Bis ao 747 que leva as pessoas mundo afora para a prática do turismo.  E, com o advento de duas grandes guerras, os aviões foram utilizados.

No campo do Direito, passou-se de uma compreensão do Direito como fator da sociedade ditado por Deus, como nos 10 mandamentos, para a percepção do Direito como fenômeno social fruto de um “pacto social”, que estabelece a Sociedade e o Estado, materializado na Constituição, que, no caso brasileiro, é a de 1988. Fruto de uma crise materializada na Revolução Francesa.

A evolução e a movimentação são da essência da humanidade, da sociedade e do Direito. E isso porque o homem prossegue se adaptando e aprendendo com os acontecimentos, por isso, vai progredindo em valores e tecnologia.

O contexto da pandemia da COVID-19 impeliu o poder judiciário a se adaptar ao distanciamento social.

As portarias de suspensão dos processos preservaram o andamento dos urgentes e, dentre estes, os de réus presos. E, para manter o distanciamento social, passaram a disponibilizar os autos de forma digital no instrumento digital já existente chamado de google drive.

Isso porque o Processo Judicial Eletrônico (PJE) ainda não está disponibilizado para processos criminais em Minas Gerais. Mas, neste contexto de pandemia, o Tribunal de Justiça das Alterosas anuncia a experiência piloto de PJE em processos criminais da Segunda Vara Criminal de Belo Horizonte. Certamente uma das mais organizadas e eficientes da Comarca.

Somado a isso, as audiências, que nos processos criminais já vinham sendo gravadas em audiovisual, e agora sendo feitas  por vídeoconferência no webex meet, para não paralisar processos de réus presos, estão provocando um grande salto de qualidade na prestação jurisdicional. Potencializando o trabalho dos advogados que cada vez mais se torna global.  

Apesar de ainda estarmos no âmago da pandemia, cheios de temores e incertezas, onde o personagem investido da responsabilidade de comandar o processo de combate à peste no país é  um dirigente nacional de atitude errática. Ao menos contemplar o prenúncio de mais um avanço da justiça traz alento ao momento vivido.

Wagner Dias Ferreira. Advogado criminalista.

Os artigos publicados, por colunistas e articulistas, são de responsabilidade exclusiva dos autores, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Factótum Cultural.

Factótum Cultural Ver tudo

Um Amante do Conhecimento e com o desejo de levá-lo aos Confins da Galáxia !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: