Ir para conteúdo

Seis tendências em psicologia nos diferentes contextos após a pandemia

por Ana Carolina Peuker

Veja tendências em saúde mental que surgiram para melhorar a qualidade de vida das pessoas nos mais diferentes contextos. (ThitareeSarmkasat/Getty Images)

Muitas pessoas ainda estão enfrentando dificuldades emocionais que “afloraram” durante os piores momentos da pandemia.

Estamos em um momento difícil de nomear: ao mesmo tempo em que já começamos a olhar pelo retrovisor os piores períodos da crise pandêmica, ainda soa estranho falarmos em “pós-pandemia”. Não estamos mais confinados dentro das nossas casas, lidando com a dificuldade de organizar uma rotina, aliando as demandas familiares e laborais, e de controlar o medo de se contaminar pela covid-19 a todo tempo. Porém, depois da tempestade, ainda restaram alguns impactos — especialmente na saúde mental.

Muitas pessoas ainda estão enfrentando dificuldades emocionais que “afloraram” durante os piores momentos da pandemia, seja pelas perdas materiais, afetivas, sociais ou econômicas. Diante desse cenário, podem ser destacadas algumas tendências em saúde mental, que surgiram para melhorar a qualidade de vida das pessoas nos mais diferentes contextos (trabalho, família/vida pessoal e educação):

Este é um item obrigatório na linha orçamentária das empresas, através da definição de ações orientadas para o bem estar psicológico e programas estruturados de educação em saúde mental no local de trabalho. Implementação de monitoramentos sistemáticos de saúde mental, com auxílio de tecnologia, para rastrear os riscos psicológicos e agir preventivamente, reduzindo custos com afastamentos e perda de produtividade.

Trabalho family friendly

A sobreposição de papéis no home office tem promovido mudanças nas empresas, tais como programação flexível, benefícios adicionais focados nos pais e mães, auxílio-creche e/ou auxílio para cuidadores.

Na família e vida pessoal

Saúde mental na “mesa de jantar”

As pessoas têm falado mais abertamente sobre como se sentem e sobre suas emoções, ajudando a resolver problemas de forma precoce.

Atenção voltada para à saúde integral

Cultivar hábitos saudáveis, incluindo buscar uma saúde mental equilibrada e uma vida com propósito, passou a ser a prioridade de muitas pessoas. A perspectiva de saúde integral – que une a física e a mental, provou ser a mais correta. Afinal, sem saúde mental, não há saúde.

Na educação

Priorização da saúde mental dos professores

Afinal, eles foram muito demandados no período pandêmico, com as mudanças devido ao ensino remoto e a sobrecarga de trabalho.

Educação em saúde mental

As escolas e corporações mais alinhadas com as necessidades do período pós pandêmico têm investido recursos para apoiar a saúde mental das crianças e jovens  e ajudá-los a conhecer mais sobre suas emoções, reduzindo a evasão e a prevalência de transtornos mentais. Em especial, os alarmantes  índices de suicídio entre adolescentes.

*Ana Carolina Peuker é fundadora e CEO da Bee Touch, mental healthtech

Exame. 20.1.2022.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: