Notícias

Elisabeth Roudinesco, uma psicanalista contemporânea

Elisabeth Roudinesco é uma psicanalista inteligente que soube resgatar o mais essencial e valioso da teoria de Sigmund Freud, mas que ao mesmo tempo impulsionou uma evolução nas abordagens da psicanálise clássica.

Elisabeth Roudinesco é uma historiadora e psicanalista francesa de grande prestígio internacional.

Atualmente, é pesquisadora da Universidade de Paris VII Denis Diderot e uma das vozes mais reconhecidas da psicanálise contemporânea. Também é autora de uma das mais belas e interessantes biografias de Sigmund Freud.

De classe alta e filha de grandes intelectuais, Elisabeth Roudinesco se formou em Literatura na Universidade de Sorbonne.

Em seguida, fez um mestrado em Linguística e alguns cursos com conhecidos autores de sua época, como Michel Foucault e Gilles Deleuze. Posteriormente, fez doutorado em Letras.

 “Passamos, assim, de uma situação histórica – na qual a psicanálise oferecia meios para curar a subjetividade desfeita ou descentrada – a um estado globalizado em que o sujeito, transformado em um depressivo, não quer mais saber o que acontece em seu inconsciente”.
-Elisabeth Roudinesco-

Em 1969, associou-se à Escola Freudiana de Paris, fundada por Jacques Lacan. Permaneceu ali por 12 anos e se formou psicanalista. Escreveu vários livros e atualmente é colaboradora do famoso jornal Le Monde de Paris.

Elisabeth Roudinesco e Freud

Uma das obras mais interessantes da psicanalista Elisabeth Roudinesco é a biografia de Sigmund Freud. Chama-se ‘Sigmund Freud na sua época e em nosso tempo’ e é um extenso relato, com grande beleza literária, que foi premiado em várias ocasiões.

Ela declarou que sua intenção era fazer um balanço equilibrado do legado freudiano, principalmente porque nas últimas décadas o figura do pai da psicanálise foi caricaturizada.

Ilustração de Sigmund Freud

A biografia não é uma reivindicação da obra freudiana, mas uma investigação exaustiva. Elisabeth Roudinesco explorou vários mitos que circulam em torno da figura de Freud e conseguiu estabelecer os limites de sua veracidade. Também conseguiu contextualizar a gênese da psicanálise e seu sentido histórico.

Roudinesco consegue mostrar a psicanálise como uma das vertentes de uma grande ebulição intelectual na Europa. O feminismo, o surrealismo e várias abordagens do anarquismo aconteciam ao mesmo tempo que avançavam os conhecimentos sobre o inconsciente.

Freud não foi um gênio solitário, mas um dos pilares de um momento histórico muito prolífico.

A psicanálise hoje e a interpretação de Elisabeth Roudinesco

Para Elisabeth Roudinesco, uma das contribuições mais importantes de Freud foi ter entregado a cada indivíduo a responsabilidade sobre o seu destino. Cada um deve ser o herói de sua própria vida, responsabilizar-se pelo que lhe acontece e inclusive pelo que não acontece.

No âmbito psicanalítico, é cada indivíduo que reelabora sua história e dá um sentido à mesma.

Escadas rumo ao pôr do sol

Essa visão é diametralmente oposta ao que o behaviorismo propõe, que Elisabeth Roudinesco define como “uma técnica bastante estúpida, embora às vezes funcione”.

Ela faz esta afirmação levando em consideração a radicalidade do que nessa escola é chamado de “conduta objetiva”, ou seja, a observável ou externa, desconsiderando ou minimizando a importância dos fenômenos inconscientes.

Em relação às polêmicas sobre a psicanálise, que alguns rotularam como “anticientífica”, Roudinesco afirma que não se trata de uma teoria fácil de digerir. Garante que na época de Freud tudo chegou a ser psíquico e que na atualidade tudo chegou a ser orgânico.

Ela acredita que, no mundo atual, há pessoas que sofrem e desejam um comprimido para evitar esse sofrimento. Por isso os psiquiatras se tornaram distribuidores de medicamentos, mas esse modelo também já mostra sinais de estar em crise.

A evolução da psicanálise

Para Elisabeth Roudinesco, a psicanálise também deve evoluir em vários aspectos. Um deles é o de assumir novas realidades, como as famílias homoafetivas e a diversidade sexual.

Ela comenta que alguns de seus colegas acreditam que as famílias homoafetivas não devem ser formadas, pois atentam contra o Complexo de Édipo. A isso, Roudinesco responde: “Então, é preciso mudar o Complexo de Édipo”.

Ela acredita que esse conservadorismo não é positivo para uma doutrina que sempre foi libertária.

Além disso, ela acredita que a psicanálise deveria considerar a opção de realizar intervenções mais curtas. A velocidade do mundo é outra.

Por isso, conservando a opção básica de realizar análises que poderiam durar anos, também deveria ser apresentada a alternativa de processos mais curtos. Elisabeth Roudinesco acredita que é possível abordar psicanaliticamente um problema específico, e não necessariamente toda a história de vida.

Elisabeth Roudinesco

Uma mudança na cultura

Roudinesco não acredita que, na nossa época, exista mais angústia ou mais problemas mentais do que antes. Na sua opinião, o que mudou foi a cultura.

Na época de Freud havia uma grande repressão perante o mal-estar. Agora, em contrapartida, esse mal-estar não apenas é abertamente expresso, mas exposto e publicado. É por isso que parece haver mais problemas hoje em dia, mas isso não é verdade.

Elisabeth Roudinesco é, sem dúvida, uma psicanalista que contribuiu muito para a difusão de sua escola. Também é uma mulher brilhante, que não teme as mudanças nem a autocrítica. Uma autora que vale a pena ler e analisar.

A mente é maravilhosa. 30.7.2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.