Notícias

Ucrânia aprova lei que iguala o comunismo ao nazismo

Agora a foice e o martelo são considerados tão nefastos quanto a suástica nazista na Ucrânia
“Agora a foice e o martelo são considerados tão nefastos quanto a suástica nazista na Ucrânia| Foto: Pixabay”

Seus nomes ainda nos perseguem. Chelmno. Belzec, Sobibor. Treblinka. Auschwitz. Dachau. Majdanek.

Eles evocam imagens dos horrores dos centros de extermínio nazistas, onde milhões de judeus, poloneses, prisioneiros de guerra soviéticos e ciganos foram sistematicamente mortos em um dos grandes horrores do século XX.

Para muitos de nós, essa imagem está associada exclusivamente a Hitler e seus asseclas nazistas. Essa visão não se alinha com o registro histórico, no entanto.

Saldo mortal do Comunismo

O Livro Negro do Comunismo, um best-seller internacional, revela que a ‘obra’ dos comunistas no século XX mais do que se igual ao dos nazistas. Uma olhada rápida mostra que o número de mortes comunistas supera o sangrento legado dos nazistas: na China, 65 milhões de mortos; na União Soviética, quase 20 milhões; Vietnã, 1 milhão; Camboja, 2 milhões. Na Coreia do Norte o saldo é de 2 milhões e contando. Adicione mais alguns milhões com a Europa Oriental (1 milhão), África (1,7 milhão) e o Afeganistão (1,5 milhão).

“Ao todo, regimes comunistas mataram cerca de 100 milhões de pessoas — cerca de quatro vezes mais que o número de mortos pelos nazistas — tornando o comunismo a ideologia mais assassina da história humana”, escreveu Marc Thiessan no Washington Post.

A diferente maneira como os horrores da Alemanha nazista e os horrores do comunismo do século XX são vistos têm sido fonte de frustração para muitos que veem a dissonância cognitiva em como a foice e o martelo são tratados em comparação com a suástica.

Para os legisladores na Ucrânia, essa dissonância cognitiva era maior do que podiam suportar. Em 2015, foi aprovada legislação para tornar o nazismo e o comunismo legalmente sinônimos.

Na semana passada, essa lei foi confirmada por um tribunal ucraniano.

“O regime comunista, como o regime nazista, infligiu danos irreparáveis aos direitos humanos porque durante sua existência ele tinha total controle sobre a sociedade, promovia perseguições e repressões politicamente motivadas, violava suas obrigações internacionais e suas próprias constituições e leis”, declarou a corte.

A decisão abre caminho para a remoção da maioria dos monumentos comunistas remanescentes com nomes soviéticos na Ucrânia. Também proíbe o uso de símbolos nazistas e comunistas.

A fome da Ucrânia

Que o comunismo é um assunto delicado na Ucrânia não deveria ser uma surpresa. Como relatou Anne Applebaum, autora ganhadora do Prêmio Pulitzer, em seu livro de 2017, ‘Red Famine: Stalin’s War on Ukraine’ (Fome Vermelha: A Guerra de Stalin contra a Ucrânia, sem edição no Brasil), quase 4 milhões de ucranianos morreram de fome na União Soviética entre 1931 e 1934. Applebaum esclarece como isso aconteceu.

“A decisão desastrosa da União Soviética de forçar os camponeses a abandonar suas terras e se unir a fazendas coletivas; o despejo de “kulaks”, os camponeses mais ricos, de suas casas; o caos que se seguiu “, escreve ela,” tudo era responsabilidade de Joseph Stalin, o secretário-geral do Partido Comunista Soviético “.

Milhões de pessoas morrendo de fome é algo hediondo. O mais aterrorizante é que essa política não foi acidental.

Até o verão de 1932, a fome em massa parecia evitável, escreve Applebaum. Os soviéticos poderiam ter pedido ajuda internacional, como fizeram em ocasiões anteriores. Poderia ter parado de exportar grãos ou interromper as requisições de grãos. Os líderes do partido optaram por não fazer nada disso.

“Em vez disso, no outono de 1932, o Politburo soviético, a liderança de elite do Partido Comunista Soviético, tomou uma série de decisões que ampliaram e aprofundaram a fome no campo ucraniano e ao mesmo tempo impediram os camponeses de deixar a república em busca de comida. No auge da crise, grupos organizados de policiais e ativistas partidários, motivados por fome, medo e uma década de retórica odiosa e conspiratória, entraram nas casas das famílias camponesas e levaram tudo que era comestível: batata, beterraba, abóbora, feijão, ervilha, qualquer coisa no forno e no armário, animais de fazenda e animais de estimação.”

Como resultado, 3,9 milhões de ucranianos morreram. À luz desses horrores, não é surpresa que muitos na Ucrânia, que sofreram durante o período de domínio nazista na década seguinte, enxerguem pouca diferença entre as atrocidades coletivas dos nazistas e as atrocidades coletivas dos comunistas.

Gazeta do Povo. 29.7.2019.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.