Notícias

Vai lá, olhos que condenam (série netflix)

Resultado de imagem para olhos que condenam

Olhos que condenam, nova Minissérie da Netflix.

Em 1989, um milionário excêntrico chamado Donald Trump pagou US$ 85 mil para publicar um anúncio de página inteira no jornal New York Times apenas para pedir a pena de morte para cinco jovens negros que haviam sido acusados de estuprar uma mulher branca no Central Park, em Nova York (três décadas antes de entrar para a política, Trump, esse inspirador de Jair Bolsonaro, já sabia como o racismo, o medo e o ódio podem ser ferramentas poderosas para a conquista do poder). Os cinco jovens, depois se soube, eram inocentes: sua condenação era fruto do racismo da polícia e do sistema judicial norte-americano. A história dos “cinco do Central Park”, que já havia sido tema de um documentário do celebrado Ken Burns, agora se transforma numa minissérie dirigida por Ava DuVernay, de Selma e A 13ª Emenda. Fortes e emocionantes, os capítulos chegam a ser didáticos ao mostrar, passo a passo, como uma gigantesca injustiça pode ser construída, a partir de uma rede de culpas e omissões que entrelaça policiais, promotores, juízes e políticos. “Quando a polícia quer uma coisa, fará qualquer coisa. Dirão mentiras sobre nós, nos prenderão, nos matarão”, resume um dos personagens. Comparadas à realidade brasileira, as armações mostradas na minissérie revelam algumas diferenças: a prática da tortura pela polícia é bem mais comedida, por exemplo. O que só faz a gente pensar como por aqui os olhos devem condenar muito mais.

Informações Boletim Ponte Jornalismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.