Ir para conteúdo

Fases em Lua

Por Iara Aparecida Dams

Pobrezinha, fizeram de você um mero

 capacho para limpar os pés antes

de entrar no Universo…[1]

Mafalda, tão jovem e já entendia o quanto subestimada é a Lua, dona de lendas e mistérios, não passou de um troféu em uma corrida que resultou em rochas e fotos cheias de teorias da conspiração. O adeus foi triste, mas quem sabe não foi São Jorge que expulsou os astronautas com o seu dragão?

Já a poetisa Cecília Meireles escolheu um olhar diferente ao escrever o poema Lua Adversa[2]:

“Tenho fases, como a lua.

Fases de andar escondida,

fases de vir para a rua…”

E foi justamente a Lua que ensinou que mudar faz parte. Hora Cheia e glamurosa, Míngua e vai se indo, some totalmente do céu mas, se reNova e Cresce para exibir-se linda outra vez. Se até a Lua some as vezes, quem somos nós, meros mortais, para exigirmos uma caminhada calma e exuberante sempre?

Florbela Espanca, poetisa portuguesa, deixou claro seus sentimentos por este belíssimo astro,  no poema [3]:

Eu tenho pena da Lua

Tanta pena, coitadinha,

Quando tão branca, na rua

A vejo chorar sozinha!… 

Novamente sou obrigada a concordar. Pobre lua, tão apaixonante e tão sozinha, tão amada e sem carinho, tão brilhante e sem luz. Tú és testemunha de juras de amor, confidente de quem tem o peito pesado, espectadora há bilhões de anos da nossa Terra, idola estimada, protagonista e vilã de diversas lendas e crenças.  Tão sublime que a ti Mario Quintana dedicou  O Eterno Encanto[4]

“Que haverá com a lua que sempre que a gente a olha é

com o súbito espanto da primeira vez?”

E, sejamos francos e sinceros, o espanto ao olhar o céu à noite e ver o seu encantamento nunca acaba. Ela que vem refletir a luz do nosso Astro Rei, também mostra seu poder durante o eclipse, pondo-se como dona do dia e escondendo o Sol.

Exuberante Lua, vou por reticências aqui e não concluir minhas palavras, seja esta uma introdução aos meus devaneios noturnos, regados pelo vento fresco e o teu luar alvo. Tu, musa inspiradora, que deveria vigiar o sono só me fez acordar para pensamentos e reflexões que resultarão em muitas noites de insônia.

Despede-se ao amanhecer, mas continua sempre aqui com sua influência mágica e fascinante.


[1] Mafalda olhando para a Lua.

[2] Lua Adversa, Cecília Meireles.

[3] Só, Florbela Espanca.

[4] O eterno encanto, Mario Quintana.

Iara Aparecida Dams, Professora do ensino fundamental I no Colégio Santos Anjos – PU. Graduada em Letras: Português/Espanhol (UNESPAR). Pós-graduada em Alfabetização, Letramento e Literatura Infantil (UNINA). Cursando Pedagogia (UNIASSELVI). Poetisa e escritora. Colunista do Factótum Cultura..

Os artigos publicados, por colunistas e articulistas, são de responsabilidade exclusiva dos autores, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Factótum Cultural.

2 comentários em “Fases em Lua Deixe um comentário

  1. Iara querida. Da escrita leve, aconchegante. Suas palavras fazem morada em meu pensar/sentir…. parabéns pelo texto… como de costume deixo o meu pedacinho preferido: “Se até a Lua some as vezes, quem somos nós, meros mortais, para exigirmos uma caminhada calma e exuberante sempre?”

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: